sábado, 23 de abril de 2011

Workshops na Casa da Cerca -Almada Velha


WORKSHOP DE ILUSTRAÇÃO CIENTÍFICA com Pedro Salgado

Nesta acção de formação abordam-se técnicas e metodologias básicas de ilustração científica, dando-se ênfase particular ao desenho de observação realizado no exterior – jardim – sempre que possível. Para além das técnicas a preto e branco e cor demonstradas e realizadas com exercícios práticos na aula, cada participante irá desenvolver um caderno de campo (diário gráfico, sketchbook), onde a prática continuada do desenho de modelos naturais deverá conduzir a um desenvolvimento progressivo do vocabulário gráfico, através da experimentação de técnicas e estilos desde o esboço rápido à representação mais rigorosa de formas, volumes e texturas, desde a flor à paisagem.

ABRIL: 30
MAIO: 7, 14, 21,28
SETEMBRO: 4, 11, 18, 25
OUTUBRO: 2

Horário: das 14h às 17h
Destinatários: Educadores, Professores, Adultos, Curiosos e Artistas
Inscrições: 21 272 49 50/60. Máx. 15 formandos
Custo da Inscrição: 255 Euros
Observações: entrega de material teórico e certificado de participação
Organização: Mapa das Ideias

Atelier de Desenho de Natureza na Casa da Cerca
Atelier de Desenho no Jardim Botânico, 2010

ATELIER DE DESENHO DE NATUREZA NO JARDIM BOTÂNICO - 4 DESENHOS PARA O JARDIM DA CASA DA CERCA

Concepção e Orientação: Francisco Pinheiro

Neste atelier propõe-se a criação de quatro grandes desenhos que vão ocupar diferentes áreas do Jardim Botânico da Casa da Cerca O Chão das Artes. Os participantes adquirirem noções práticas simples - que promovem a descoberta de modos de ver e capacidade de expressão própria - para num segundo momento dar o seu contributo naquele que será o desenho colectivo.
A partir de 4 temáticas – que se repetem num segundo mês – são exploradas as diferentes qualidades deste Jardim e sua relação com a arquitectura da Casa da Cerca.

DESENHAR UM PERCURSO: 8 de Maio // ou 5 de Junho
DESENHAR A ÁRVORE – 15 de Maio // ou 12 de Junho
DESENHAR SOBRE AS SOMBRAS – 22 de Maio // ou 19 de Junho
DESENHAR A ÁGUA E A LUZ – 29 de Maio // ou 26 de Junho

Horário: Domingos, das 14h às 17h
Destinatários: todos os interessados com ou sem experiência nas artes plásticas; artistas, professores, educadores, estudantes (maiores de 14 anos).
Nº máx. Participantes: 15
Inscrições: 21 272 49 50/60
Custo da inscrição: 75 Euros
Observações: entrega de material teórico e certificado de participação.
Organização: Mapa das Ideias

Curso livre de História de Arte
HOBBEMA, Meyndert, Pintor Holandês
(Amesterdão, 1638 - 1709)
O moinho de água, 1663-68

CURSO LIVRE DE HISTÓRIA DE ARTE - Um Olhar sobre o Natural

Formadora: Emília Ferreira

Do mundo antigo ao contemporâneo, quatro sessões livres sobre a temática da Natureza, na sua relação com as Artes Plásticas ao longo da História. Este curso de quatro sessões, destina-se a todos os interessados pela Historia da Arte, com ou formação específica na área.

Datas: Maio: 4, 11, 18, 25
Horário: Pós-laboral (das 19h às 21h).
Destinatários: adultos.
Inscrições: 21 272 49 50/60.
Nº de participantes: sujeitos à lotação da sala (aprox. 45). Gratuito.


(retirado do site da Casa da Cerca)

terça-feira, 12 de abril de 2011

Grutas Škocjanske - Eslovénia

A Eslovénia é um país próspero situado da zona dos Balcãs. A Eslovénia é um dos novos países europeus que surgiu na  década de 90 do sec. XX, em consequência da desintegração da Jugoslávia.


Este país apresenta características naturais únicas. O rio Reka (na foto acima) é uma dessas marcas. Este rio percorre, cerca de 50 km, até chegar à região de Kras (um planalto calcário situado na fronteira entre a Eslovénia e Itália). Aí, subitamente afunda-se 90 metros e transforma-se num rio subterrâneo, originando uma das mais magníficas grutas da Europa - Grutas Škocjanske.


O comprimento total do sistema de cavernas Škocjanske é de cerca de 6 km (dos quais apenas 3 estão abertos ao público), com magnificas cascatas e lagos. Em duas partes deste complexo houve abatimento da gruta.

O que distingue as Grutas Škocjanske de outras cavernas subterrâneas é a garganta, um resultado excepcional de milhões de anos. Há também as câmaras subterrâneas, como Câmara de Martel, com 308 metros de comprimento, 89 metros de largura e 150 metros de altura, com a maior secção transversal atingindo 12.000 metros quadrados.

http://www.tourismontheedge.com/places/skocjan-caves-slovenia-an-exceptional-underground-canyon.html

Em 1986, devido às suas características excepcionais, as Grutas Škocjanske foram inscritas na lista da UNESCO do património natural e cultural mundial.

Após o complexo de gruta, o Reka desaparece entre as rochas e surge 30 km depois na planície, já em Itália, junto a Trieste.

O site oficial: http://www.park-skocjanske-jame.si/
Algumas fotos de 360º do interior da gruta: http://www.burger.si/Jame/SkocjanskeJame/SkocjanskeJame/seznam.html

domingo, 10 de abril de 2011

Passeio Pedestre de Cacilhas ao Ginjal



A Secção de Aventura e Cultura do Clube Peões da Caparica realizará no Próximo dia 30 de Abril de 2011 um Passeio Pedestre que terá ínicio em Cacilhas e passará pelo ginjal, pela zona histórica de Almada, entre outros pontois de grande interesse histórico e cultural.

Ao mesmo Tempo realizará o 1º (de dois) momentos referentes à 1ª Maratona Fotográfica do Clube.

Segue abaixo o regulamento do Passeio e brevemente será publicado o regulamento da Maratona.

Contamos convosco para mais esta iniciativa que será sem dúvida muito enriquecedora para todos.

Regulamento

1 - O Clube Peões da Caparica (http://peoes-caparica.blogspot.com) organiza o Passeio Pedestre de Cacilhas ao Ginjal – Uma História em Ruínas que decorrerá no dia 30 de Abril de 2011 (Sábado) pelas 15h00.

2 – O Passeio tem como objectivo a dinamização da secção de Aventura e Cultura no seio do Clube Peões da Caparica, proporcionando momentos de lazer e relaxamento associados ao interesse pelo património existente no nosso Concelho, bem como a promoção de uma vida activa e saudável.

3 – A caminhada está aberta a todos os participantes, qualquer que seja a sua faixa etária, representantes ou não de outros clubes, colectividades, organizações populares, empresas e individuais, que se encontrem aptos, física e psicologicamente, para o esforço que lhes é exigido pela sua participação.

4 – Esta Caminhada terá como ponto de encontro, o Posto de Turismo de Cacilhas pelas 15h00.

5 – O percurso é circular, tendo como origem e destino, Posto de Turismo de Cacilhas. O Passeio será feito pela zona ribeirinha de Cacilhas e Ginjal A distância do percurso é de aproximadamente 3 km e considerada de grau de dificuldade baixo -médio com tempo de percurso aproximado de duas horas.

6 – Não será admitido o uso de bicicletas, skates ou patins, ou outro qualquer veículo ou meio de locomoção.

7 – Todas e quaisquer irregularidades ou atitudes consideradas anti-desportivas pela organização, cometidas pelos caminhantes, serão motivos de exclusão dos mesmos no evento.


8 – As inscrições são obrigatórias, devendo estas ser feitas até dia 22 de Abril para peoes.caparica@gmail.com. A contar para o Prémio Bulhão Pato

- As inscrições terão um custo simbólico referente a despesas de logística: 3 Euros o Grupo de Sócios e familiares e 4 euros Não Sócios ou mais de dois não sócios na equipa.

 9 – Serão aceites inscrições no próprio dia, junto do local de encontro, desde que o número limite de inscrições não esteja ultrapassado e não atrase ou perturbe o correcto funcionamento da caminhada.

10 – Não haverá qualquer classificação colectiva ou individual e eventuais prémios de participação serão simbólicos e distribuídos equitativamente por todos.

11 – Cada Participante deve levar consigo um poema, conto ou lenda de pequenas dimensões para partilhar com os restantes participantes, fomentando o espírito de grupo e o sentimento de amizade entre os caminhantes.

12 - O CAMINHANTE é responsável por todas as despesas de transporte, hospedagem e alimentação, seguros e quaisquer outros gastos necessários ou provenientes da sua participação no evento, antes, durante e após a mesma.

13 – O CAMINHANTE assume que participa no evento, por livre e espontânea vontade, isentando de qualquer responsabilidade os organizadores, patrocinadores, apoiantes e colaboradores, em seu nome e dos seus sucessores.

14 – Todos os casos omissos neste regulamento serão analisados e decididos pelos organizadores do evento, em consonância com os membros pertencentes à direcção do Clube Peões da Caparica.

15 – Qualquer dúvida ou informação deve ser esclarecida com a organização através do seu sítio http://cpeoes-caparica.blogspot.com ou seguinte contacto: peoes.caparica@gmail.com.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Esculturas de José Nobre - mostra na Sociedade Nacional de Belas Artes

video

arte é a visão do mundo
arte é o moldar das nossas emoções
arte é a prisão da nossa vida
arte diverte a nossa tristeza
arte provoca, adoça, conta, ri, chora.
uma ópera de razões alucinadas dos nossos olhos
dança de cor e risco
martelo, corte, esfuminho
papel bailarino
tela
é só mais um bocadinho arte, provoca, aprende e AMA.

leonor vieira


quinta-feira, 7 de abril de 2011

FOTOGRAFIA - Exposição Cultural, na Biblioteca Municipal José Saramago de 12 a 31 de Março de 2011

f o t o g r a f i a
MEMBROS DO JÚRI
Teresa Frade
Ricardo Ribeiro
Fernando Roussado

Concorrentes – Trabalhos exibidos na exposição da Biblioteca Municipal José Saramago

Ana Lima (Almada): Olhares; Sheikh
Carolina Fernandes (Almada): DES-FOLHA-DA; POssO; SOMBRA
Custódia Nascimento (Almada): mais perto de Deus; no Tempo da Costura; rasgos na memória
Edgar Gomes (Almada): Convento dos Capuchos; Jardim do Convento dos Capuchos; Parque de diversão Infantil
Ivan Nascimento (Almada): 3 Virtudes; Descobrindo; Os Olhos São Palavras
Patrícia Ferreira (Seixal): Cacilheiro no Porto Brandão; Cais no Porto Brandão; Foge, foge, que eu já te apanho
Ruben Nascimento (Almada): Chained; o meu mémé; was but not now
Rui Coelho (Cascais): Simplesme
nte Cascais; Água das Pedras; A Caminho...
Susana Simões (Ansião): Fim-de-semana na Caparica; Um olhar sobre a Costa … da Caparica
Verónica Luna (Almada): As cores do Monte da Caparica
Victor Nascimento (Almada): infinito; pegadas na areia; Saudade.


_________________ EXPOSIÇÃO VIRTUAL


1º Classificado de Fotografia - NO TEMPO DA COSTURA - Custódia Nascimento


Numa época onde tudo se produz industrialmente, lembrar que outrora as costureiras e os alfaiates faziam as peças por medida, e pensar no passado, sorrindo, relembrando os momentos e os tempos.

2º Classificado de Fotografia - SAUDADE - Victor Nascimento


As iguarias, os petiscos, as lembranças, as tardes com os amigos…
O que de mais tradicional se faz, os sabores, os cheiros, as delícias...

3º Classificado de Fotografia - POSSO – Carolina Fernandes
Castanho! Cor da Terra. E da resistência.


Menção Honrosa de Fotografia - OLHARES – Ana Lima


Momento de reflexão. De dentro para fora. O Olhar da Caparica posto no horizonte, no futuro, através da arte.



Menção Honrosa de Fotografia - CACILHEIRO NO PORTO BRANDÃO – Patrícia Ferreira


Esta fotografia é um tributo às carreiras dos cacilheiros que partiam da Trafaria, faziam uma curta paragem no Porto Brandão e rumavam até Belém.






domingo, 3 de abril de 2011

Exposição Cultural, na Biblioteca Municipal José Saramago de 12 a 31 de Março de 2011 - Poesia


POESIA

membros do júri:

♥♥♥ Ana Mercedes Pescada ♥♥♥ Marco Praça ♥♥♥ Renata Pinto ♥♥♥

concorrentes ♥♥♥ trabalhos

Ana Augusto (Seixal) - Recordações

Ana Bravo (Almada) - Inspiração; Provas

Custódia Nascimento (Almada): Porquê; Saudade Eterna; Sol

Fernando Amaro (Almada): Amizade; Vagueando

Geraldo Trombin (Americana/BRASIL): Arborescência; destarte; Dois em Um

Ivan Nascimento (Almada): Duas Almas; Tudo Tão Claro; Um Último Adeus

Maria Simões (Ansião): Dia dos Avós; Festa dos Avós; Passeio a Alter do Chão e Estremoz

Patrícia Ferreira (Seixal): Dúvida

Patrícia Rocha (Almada): A Tentação; Já Era!; Vamos Dançar

Raquel Gonçalves (Almada): Silêncios

Sofia Antunes (Almada): Eu Queria; MEMÓRIAS; TELEPATIA

Verónica Luna (Almada): As crianças são apenas crianças

Victor Nascimento (Almada): Esperança; Êxodo; Marinheiro

Os trabalhos patentes na exposição são aqueles que têm o nome sublinhado.

Na exposição estarão presentes apenas 18 trabalhos, e aqui, iremos apenas exibir os trabalhos premiados.

1º Classificado de Poesia

Fui semente!

Brotei.

Ganhei tronco

E membros.

Ramifiquei.


Em minha arborescência

Adquiri consistência.

Da minha árvore genealógica,

Cultivei a essência.

Plantado em solo fértil,

Vislumbro arvoredos

E passaredos.

Gero bons frutos,

Colho seus desfrutes.

Hoje sou homem-árvore

Provido de um norte:

Raiz forte fincada no passado;

Caule espesso elevado ao presente;

Galhos e mais galhos estendidos ao céu,

Como braços e abraços em copa,

Protegendo a vida,

O futuro em dossel.

ARBORESCÊNCIA de Geraldo Trombin – Americana | São Paulo | Brasil

2º Classificado de Poesia

Corria inocente e pura

Pela mão do velho,

Corria segura e feliz

Por onde ia,

Segurava-lhe a mão

Enrugada e queimada

Pelo sol e pelo tempo

Como quem se agarra à vida,

Enquanto caminhava

Contava os passos e ouvia

Palavras que se uniam

Contando uma história vivida.

MEMÓRIAS de Sofia Antunes – Almada

3º Classificado de Poesia


Já não te vejo mãe, junto a meu lado,

Tão cedo que partiste para o céu

Minha vida sem ti, escureceu,

Sem ti, passo chorando amargurado.

Na minha dor que há terminado,

Quantas vezes invoco o nome teu.

Embora a outra mãe que Deus me deu

Muito afecto me tenha consagrado.

Era criança ainda! Mal sabia

O que fosse perder amor de mãe

Na luta porfiada em cada dia


Não é, ó mãe, o teu amor miragem!...

Somente, agora tarde, entendo bem

Que em mim, é sempre viva, a tua imagem.


SAUDADE ETERNA de Custódia Nascimento – VN Caparica –- Almada


sábado, 2 de abril de 2011

Exposição Cultural CPC, na Biblioteca Municipal José Saramago de 12 a 31 de Março de 2011

E x p o s i ç ã o dos melhores trabalhos apresentados ao:

1º Concurso de Pintura Rápida CPC
1º Concurso de Fotografia CPC
1º Concurso de Poesia CPC

Biblioteca Municipal José Saramago – Feijó | Almada

E x p o s i ç ã o i n t e g r a d a n a Q u i n z e n a d a J u v e n t u d e

NOTA INTRODUTÓRIA:
O Clube Peões da Caparica é uma jovem associação do concelho de Almada, que pela primeira vez se embrenhou nesta tarefa de incitar os Almadenses a se exprimirem através de Fotografia, Poesia e Pintura Rápida. Depois de lançado este desafio, acabámos por ser sensíveis aos apelos de artistas oriundos de outras paragens e, recebemos trabalhos de concorrentes de outros concelhos de Portugal e até do Brasil.

Para esta primeira edição contámos com 58 trabalhos a concurso em poesia e fotografia, dos quais seleccionámos 38 para apresentar nesta exposição. No concurso mais
desafiador, pintura rápida, onde cada artista tinha poucas horas para colocar na tela a sua visão criativa sobre “Caparica, Freguesia Pintada”, houve 7 artistas a aceitarem o desafio.

Aos artistas vencedores, mas também a todos os outros que de uma forma ou de outra participaram nos nossos concursos, o nosso agradecimento pela colaboração que deram a estas formas de expressão cultural.

O nosso reconhecimento a todos os membros do Júris dos Concursos, que de uma forma generosa e empenhada seleccionaram os melhores trabalhos.

O apoio da Câmara Municipal de Almada, da Junta de Freguesia de Caparica e do Agrupamento Vertical de Escolas da Costa da Caparica, foi imprescindível - obrigado.

O patrocínio do Teatro Municipal de Almada, empresa fotográfica Boto&Nunes e da União das Associações de Pais do Agrupamento Vertical de Escolas da Costa de
Caparica, marcou a diferença.

O Clube Peões da Caparica espera no próximo ano fazer ainda melhor com o vosso apoio.

P i n t u r a R á p i d a
(o desafio consistiu na validação da tela às 9:00 h na sede e entrega da mesma às 18:00 h)

MEMBROS DO JÚRI:
Bernardete Couto
Sara Bichão
Sara Fragoso
ConcorrentesTrabalhos

Leonor Vieira (Almada) – Lenda de Porto Brandão
Sílvia Marieta (Vila Franca de Xira) - O Sonho dos Capuchos
Ivan Nascimento (Almada) - Igreja da Nossa Senhora do Monte de Caparica
Patrícia Ferreira (Seixal) - Cais do Porto Brandão
Ana Augusto (Seixal) - Paisagem do Porto Brandão
Custódia Nascimento (Almada) - Convento dos Capuchos
Ruben Nascimento (Almada) - Convento dos Capuchos
____________________
Custódia do Nascimento
1ºprémio
Buscou nas suas memórias para pintar com uma alegria de pormenor, um dos sítios mais representativo da freguesia - o Convento dos Capuchos, usando a técnica de acrílico sobre tela. Esta é uma das capelas da Freguesia de Caparica mais requisitadas para eventos, tais como, casamentos, baptizados e acontecimentos musicais.
__________________
Leonor Vieira
2ºprémio
Representa no seu sentir a lenda do Porto Brandão, numa técnica mista sobre tela.
«Brandão, um jovem robusto dos seus 20 anos, operário da construção naval perde-se de amores pela bela filha do dono do estaleiro, Paulina. O pai tem outros planos para a filha, e promete-a em casamento ao filho de um rico comerciante das Índias. Em segredo prepara a partida da filha num navio. Brandão apercebe-se, e num pequeno barco alcança o navio, a fim de raptar Paulina. Mas, foi descoberto e dado como ladrão. Apesar de tentar resistir, terá sido morto e lançado ao rio Tejo. Paulina observou tudo, banhada em lágrimas. De coração perdido, ao ver desaparecer Brandão nas águas do rio, decidiu acompanhá-lo e atira-se também ao Tejo. Alguns dias depois, foram os seus corpos encontrados, em sítios diferentes da margem; o de Brandão no que hoje chamamos Porto Brandão.»
_________________________
Ivan Nascimento
3ºprémio
Pintou originalmente o edifício central do Monte de Caparica – a Igreja da Nossa Senhora do Monte de Caparica, usando a técnica de acrílico sobre tela. Esta igreja era inicialmente apenas uma ermida dedicada a Santa Maria. Em 1472 sofre obras de alargamento e passa a Igreja. No entanto, o terramoto de 1755 destruiu completamente a Igreja, e a mesma foi posteriormente reconstruída. A Igreja dispõe de interior muito rico, que regista em si mesmo o peso da história, da cultura e das mudanças inerentes à Freguesia. A Igreja é, na opinião deste artista, um monumento fantástico, que merece uma representação eterna.
_____________________________
Ana Augusto
Menção honrosa
Estendeu o seu olhar de Porto Brandão até a outra margem do Tejo e transportou esse motivo para a tela – Paisagem de Porto Brandão - usando a técnica de acrílico. Na praia de Porto Brandão pode-se apreciar os seus barcos típicos e simultaneamente, esbatido sobre o horizonte, a cidade de Lisboa.
_________________________________
Ruben Nascimento
Menção honrosa
Lançou um olhar diferente sobre a fachada principal do Convento dos Capuchos – a partir do Jardim, e registou-o em tela usando uma técnica de influência impressionista. O local não é apenas de utilização religiosa ou musical, mas é, também, um local onde o povo da Freguesia pode “fugir” às suas preocupações e relaxar, neste belo Jardim. Considera o artista, que este espaço é uma área de lazer, que muito aprecia, até porque foi neste Convento que foi organizado o seu baptismo. Considera muito agradável recordar e retratar este espaço.
_________________________
Sílvia Marieta
Indicou o Jardim do Convento dos Capuchos como local de inspiração para o seu trabalho – O Sonho dos Capuchos – usando uma técnica mista. Nesta tela representa-se um Anjo e parte do monumento, como que a desvanecerem-se, como de um sonho se tratasse – um lugar mágico.
_______________________________
Patrícia Ferreira
Transportou para a tela a atmosfera piscatória do Cais do Porto Brandão, usando a técnica de acrílico em tela. Porto Brandão é um lugar onde a tradição persiste, a par do desenvolvimento verificado no resto da freguesia. A cultura piscatória é o cartão-de-visita desta localidade.